quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Olhe para o Universo e agradeça.


Existência de Deus

Conta-se que um velho árabe analfabeto
orava com tanto fervor e com tanto carinho,
cada noite, que, certa vez, o rico chefe de grande
caravana chamou-o à sua presença e lhe
perguntou: Porque oras com tanta fé?
Como sabes que Deus existe, quando nem ao
menos sabes ler? O crente fiel respondeu:
Grande senhor. Conheço a existência de
Nosso Pai Celeste pelos sinais dele.
Como assim? Indagou o chefe, admirado.
O servo humilde explicou-lhe: Quando o senhor
recebe uma carta de pessoa ausente, como
reconhece quem a escreveu? Pela letra.
Quando o senhor recebe uma joia, como é que se
informa quanto ao autor dela?
Pela marca do ourives. O empregado sorriu e
acrescentou: Quando ouve passos ao redor da tenda,
como sabe, depois, se foi um carneiro,
um cavalo ou um boi?
Pelos rastros- respondeu o chefe, surpreendido.
Então o velho crente convidou-o para fora da
barraca e, mostrando-lhe o céu, onde a Lua
brilhava, cercada por multidões de estrelas,
exclamou, respeitoso:
Senhor aqueles sinais, lá encima, não podem ser
dos homens! Nesse momento, o orgulhoso
caravaneiro, de olhos lacrimosos, ajoelhou-se
na areia e começou a orar também.

Chico Xavier

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

O poder do abraço.


Um forte abraço é o melhor dos remédios.
 
Cada vez mais nos sentimos isolados. Estamos vivendo um período de distanciamento de coisas simples, como um abraço.
Neste post vamos entender o “poder do abraço”. Alberto Petrocchi vai nos orientar de forma sensível e inteligente e mostrar como esse fantástico gesto de amor e carinho é poderoso.




por: Alberto Petrocchi

Estando em outro país e tendo acesso a informações sobre as principais características do seu povo, pude sabê-lo "individualista".
O conhecimento dessa particularidade deixou-me curioso a respeito dos motivos que estão levando as pessoas a isolarem-se umas das outras, além das consequências de tal atitude.
A ascendência do ter sobre o ser, a quase que obrigatoriedade de sobressair-se pela aparência, a importância de um grande saldo bancário, o automóvel último tipo e a roupa da moda fazem com que as pessoas vivam na sua redoma particular, presas apenas das suas vontades e das suas aspirações.
Pode parecer incrível, mas até nas danças modernas as pessoas se isolam. É extremamente difícil vermos pares dançando abraçados. Tornou-se, como diriam alguns, meio "démodé", quadrado. A intimidade gerada por um abraço, mais do que ser sensual ou sexual, transmite conforto, segurança, afeto, carinho, respeito. Preenche as necessidades de quem é abraçado e permite, a quem teve a iniciativa do gesto, demonstrar ser capaz de transmitir sua generosidade.
Desde que descarregado de outras intenções, o simples enlaçar com os braços é uma atitude poderosa. Transmite-se, através dele, inclusive o respeito para com a outra pessoa. Tomemos, como exemplo, a forma de apresentar sentimentos a quem passa pelo difícil momento da perda de um ser querido.
Quaisquer que sejam as palavras escolhidas para confortar essa pessoa poderão ser, no mínimo, inócuas, sem o verdadeiro sentido do que deveriam exprimir. Já o abraço forte demonstra o apoio, o conforto e a segurança oferecidos. Aquele que é abraçado pode confiar na força que lhe é transmitida, a confiança que lhe está sendo destinada.
Quando estamos nos sentindo sozinhos, meio que tristes ou com o horizonte fora de foco, um abraço é o melhor dos remédios. Faz-nos sentir queridos, alvos da atenção que necessitamos.
As palavras, nessas horas, talvez não signifiquem muito. O poderoso afeto que nos é destinado tem a força de erguer-nos do fosso e parece muito grande, maior do que a mais alta montanha. O ombro que nos recebe é sempre capaz de nos animar, de nos trazer de volta aos bons momentos da vida.
As crianças, por exemplo, na sua natural dificuldade para se expressarem através de palavras, demonstram todo o seu carinho com longos e apertados abraços. Chegam a ranger os dentes com a finalidade de nos mostrar a força do seu sentimento. É uma das mais reais provas de sentimento puro, de vontade de gritar sua demonstração de carinho.
Abraços de boas-vindas podem ser a prova de que a sua falta foi realmente sentida. Parecem querer dizer que o seu lugar, durante a sua ausência, foi ferrenhamente guardado. Quem permaneceu aguardando o seu regresso, qualquer que tenha sido o motivo da sua ida, precisava de você ao lado, tendo compreendido bem o motivo que o tenha privado da sua presença.
Está verdadeiramente feliz com a sua volta. Ah!, e os abraços de amor... Não existe quem a eles resista. Conseguem dizer o que as palavras jamais conseguiriam. Nem os olhos abertos se lhes resistem.
Vencidos, semicerram-se. A gana (a boa gana) se transforma em dedos crispados. Os rostos parecem querer invadir um ao outro.
Acontece uma verdadeira fusão de corpos e almas. É uma das mais expressivas formas de demonstração de amor.
Dois seres que se amam se completam nesses momentos. É o céu e a terra juntos. Existe, ali, a prova da divindade nos seres humanos, a sublime parte de ambos. Assim é que, diante do que consegui dizer, gosto de continuar com os meus princípios de integração/interação. Preciso de outro(s) ser(es) humano(s) ao meu lado. Para abraçar e/ou ser abraçado...



terça-feira, 29 de novembro de 2011

O espiritismo e a "Transição Planetária".


Neste momento de mudanças em todo mundo é sempre bom estarmos informados. O Blog Fonte de Energia mostra neste post a visão do espiritismo para a transição planetária. Temos certeza que a informação é a única forma de atravessarmos esta fase de mudanças. Estamos cumprindo nosso dever de orientar o ser humano e conduzi-lo para o caminho certo, onde o amor é a lei maior.


E, estando assentado no monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos, em particular, dizendo: Dize-nos quando serão essas coisas e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?

Tanto o capítulo 24 do Evangelho segundo Mateus, quanto o capítulo 13 do Evangelho segundo Marcos, abordam o chamado fim do mundo. Se estudarmos esses capítulos com atenção, veremos que eles trazem várias previsões que Jesus faz a respeito da Grande Transição pela qual o planeta Terra esta passando, e estamos vendo acontecer em nossos dias.
Várias profecias têm sido divulgadas abordando o tema do final do planeta. A que está em voga atualmente é a profecia maia que traz uma suposta revelação para o fim do mundo em dezembro de 2012.
Contudo, será realmente o fim do mundo físico que estamos presenciando? Não! Os fatos que vivenciamos na atualidade é aquilo que a Doutrina Espírita nos explica desde a segunda metade do século XIX, nas chamadas obras básicas do Espiritismo, escritas por Allan Kardec, e que os Benfeitores espirituais, como a Mentora Joanna de Ângelis, atualmente, tem chamado a Grande Transição.
O que é essa Grande Transição? É a transformação do planeta Terra de mundo de expiações e provas, onde o mal impera, em mundo de regeneração onde há predominância do Bem. Portanto, o fim a que se refere o versículo acima citado não é o fim do planeta, mas o fim de uma era, a era na qual o mal predominava na Terra.

Como todo momento de transição há um tumulto previsto pelo próprio Cristo, relatado por Mateus  – “Porque haverá então grande aflição como nunca houve desde o princípio do mundo até agora nem tampouco haverá jamais”. É este momento de aflições coletivas que estamos passando, onde a iniquidade tem atingido o auge, gerando desesperança pela própria dor, e indiferença pela dor do próximo em muitas pessoas.
Todavia, é fundamental que estejamos atentos ao processo de transição, pois é um momento crucial em nossas vidas, e evitemos a desesperança e a indiferença. Jesus mesmo prediz isso – “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará”.
Todos nós que estamos vivendo este momento somos convidados a buscar o Reino de Deus e a Sua Justiça, como nos ensina Jesus, de modo que cada um desenvolva o amor a si mesmo e ao próximo como a si mesmo, fazendo aos outros o que gostaria que fizesse a si.
Como a Terra deixará de ser planeta de expiações e provas, onde o mal predomina, aqueles que não estiverem dispostos a praticar o Amor e o Bem serão exilados em outro planeta, pois caso continuem a viver na Terra, devido à prática contumaz do mal e a capacidade tecnológica alcançada atualmente no planeta, essas pessoas, ainda voltadas ao mal, destruiriam o próprio planeta, fato também previsto por Jesus – “E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas, por causa dos escolhidos, serão abreviados aqueles dias”.
Portanto, este momento de transição é muito importante para todos aqueles que desejam permanecer nos próximos milênios na Terra regenerada, onde não é o planeta que terá fim, e sim o mal.
A Terra, planeta de regeneração, comparada com o que ela é hoje se transformará em um verdadeiro paraíso, no qual todo avanço científico e tecnológico será utilizado exclusivamente para o Bem, fazendo com que as doenças, a miséria material e ainiqüidade desapareçam do planeta, pois a miséria moral terá fim.
É fundamental, conforme orienta Jesus, que perseveremos na prática do Amor e do Bem para que possamos continuar a viver neste planeta.

Por: Alírio de Cerqueira Filho, coordenador de Estudos e Doutrina da Federação Espírita de Mato Grosso.

domingo, 6 de novembro de 2011

Problemas, quem não os tem?


Eles fazem parte da vida e provocam o crescimento interior. São testes iniciáticos para o desenvolvimento da alma e podem ser superados.  Para cada problema existe uma ou mais soluções. As respostas devem ser procuradas de todas as formas.
Para atingir a mestria na ciência da vida o homem deve agir como um cientista: Experimentar, experimentar e experimentar. Passar pela agonia dos erros e enganos procurando até encontrar a luz do entendimento, a solução.
Cada vez que ultrapassa um teste, a alma sobe um degrau na escala evolutiva. Em seguida vem outro e outro e outro teste, para a expansão da consciência. Os indivíduos precisam aprender a encarar seus problemas como desafios e aceitá-los corajosamente, com a alegria da vitória que pode ser atingida.
Não existem problemas, mas sim, testes. Quem pensa que pode passar a vida sem problemas esta completamente enganado, o grande problema está em pensar que problemas não são bem vindos e que eles só vem para atrapalhar.

MÉTODO PARA ENCONTRAR A SOLUÇÃO DOS PROBLEMAS

A mente do homem é como um computador que obedece na integra a programação feita, assim jamais devemos afirmar nada que não queremos que aconteça. Isto só da mais poder aos problemas fazendo-os crescer e parecerem intransponíveis.
O homem deve introduzir em sua mente todas as informações relacionadas ao problema. A isto chamamos processo indutivo.
Induzir a mente a encontrar a solução ideal, dando a ela elementos variados. Em outras palavras, jogar dentro do computador mental muitas e diferentes informações, para que a inteligência superior possa deduzir a resposta correta.

COMO FUNCIONA ESTE MÉTODO:

Processo indutivo: 

- Assuma uma atitude fria e analítica diante do problema.
- Desvincule-se de toda a magoa, rancor, decepção, medo, desanimo, etc...
- Diga ao seu EU Superior que atua em sua mente:
- Eu estou com um problema (descreva-o com detalhes) e quero que me ajude a encontrar a solução ideal.
- Fale da mesma forma que o faria se estivesse entregando uma tarefa a um engenheiro de computação de sua empresa, descrevendo tudo o que sabe sobre o problema/ meta/ projeto.
- Diga: "Vejo as seguintes possibilidades:" Descreva aqui as soluções que estão ao seu alcance, mesmo que pareçam fracas ou inadequadas.
- Procure ouvir a opinião de todos os envolvidos e saber como agiriam diante de tal situação.

- É bom procurar ouvir profissionais ligados à área do problema.
- Peça uma resposta à Deus e abra a Bíblia. Reflita sobre o trecho onde seus olhos caírem.
- Jogue todas estas informações para dentro do seu computador mental e espere que ele selecione a melhor ou mesmo aumente a lista.
- Pacientemente aguarde o tempo necessário para que seu computador mental processe tudo. Durma tranqüilo.
- Quando a preocupação assaltar sua mente, afirme com segurança:


- EU VOU ENCONTRAR A SOLUÇÃO IDEAL!
- DEUS VAI ME AJUDAR!
- EU CONSIGO, EU POSSO!
- TUDO SERÁ RESOLVIDO EM TEMPO!

- A sua mente superior devolverá o processo dedutivo à sua consciência. Fique atento à sua intuição. Manter a serenidade é a chave mestra para ultrapassar o problema.
- O segredo é pensar na solução e não no problema.
- Quando pensamos no problema nós o fortalecemos. Ao buscarmos a solução incessantemente, ativamos a mente superior para nos trazer a resposta certa.
Confie seus problemas ao seu Eu Superior e fique tranqüilo;
Você colherá os resultados de sua fé
.



Fonte: www.acasadoaprendiz.com.br

domingo, 25 de setembro de 2011

7 dicas de Feng shui para você obter prosperidade.


Ter um bom emprego, um negócio que vai bem e ganhar na loteria ou no bingo é um bom sinal de que sua vida está próspera.
Mas, você sabia que a casa, o local onde passamos mais de 1/3 de nossas vidas, influencia e muito na prosperidade?
A técnica chinesa de harmonização e equilíbrio de ambientes, Feng shui, estuda e procura ativar as áreas e energias de prosperidade que circulam e existem em nossas casas.
Reunimos abaixo uma série de dicas práticas para você deixar sua casa mais próspera e você mais rico.

1) A PROSPERIDADE BATE À PORTA

Para que ela, a prosperidade, entre totalmente em sua vida, alguns cuidados são necessários:
- A casa deve ter uma numeração de fácil identificação, se não a sorte não vai te achar.
- A porta deve abrir com facilidade e totalmente. Nada de portas emperradas ou com móveis atrás que impedem a abertura total.
- Ponha um sino de vento de metal atrás da porta. O sino atrai boas energias.

2) A ABUNDÂNCIA BANHA SUA CASA

Para o Feng Shui, toda a casa deve ter um rio calmo e sereno passando diante da porta. O rio irá trazer, para a casa e seus moradores, saúde, prosperidade e alimentos, levando embora as más energias. Hoje em dia, nem sempre conseguimos ter um rio em nossas portas. Mas, podemos colocar objetos e quadros que lembrem água. Você pode colocar, pelo lado de dentro da casa, próximo à porta de entrada, uma fonte de água ligada, um aquário com peixes, uma gravura ou quadro com um rio, mar e barcos, uma foto de um local que tenha cachoeira ou motivos náuticos. Tudo para atrair prosperidade.

3) O FOGO DA PROSPERIDADE

Você sabia que o fogão é considerado o caixa forte ou cofre da casa. Seu elemento é o fogo. É nele que preparamos os alimentos que irão nos dar sustentação e energia no dia-a-dia. Anote alguns cuidados que você deverá ter com o fogão:
- Sempre limpo e impecável;
- Todas as bocas e o fogão funcionando bem;
- Nada de lixo perto dele, é antipróspero.

4)" CUIDADO COM ENTULHO E LIXO "

Muitos cuidados para não ficar acumulando e guardando objetos, papeis, roupas e lembranças que não tem mais utilidade e uso. Estes "entulhos " provocam a energia estagnada, o que atrapalha a prosperidade da casa. Faça uma avaliação e limpeza geral. Abra espaço em sua casa e vida. Não esqueça de colocar o lixo para fora também.

5) MUITO VERDE NA CASA

Abuse de plantas. Elas trazem boas energias. Coloque muitas flores amarelas e vermelhas, pois atraem prosperidade e abundância. Arranjo de girassol também é muito usado para atrair riqueza.

6) MESA DE JANTAR 

A mesa de jantar, da sala ou da cozinha, é o local onde as pessoas se reúnem para as refeições e para conversar. O Feng Shui a considera um local também de prosperidade. Coloque sobre a mesa um belo arranjo de flores ou uma fruteira cheia de frutas. Se houver espaço, coloque na parede um espelho para refletir a mesa de jantar e dobrar a prosperidade.

7) LADRÃO DA ABUNDÂNCIA 

Muito cuidado com os banheiros, são ladrões de abundância. Mantenha sempre a porta do banheiro fechada e a tampa da privada baixa. Já irá ajudar bastante.

Por Vera Caballero & Franco Cuizzetti
Consultores e Profº de Feng Shui - Espaço mistico

domingo, 18 de setembro de 2011

Vida e Morte


Para o ser humano, não existe questão mais séria do que a morte. Nada, portanto, poderia proporcionar-lhe maior alegria do que uma explanação da questão. Na Europa, espiritualistas como Sir Oliver Lodge e Maeterlinck se dedicaram ao estudo da vida após a morte e publicaram vários livros a respeito. Eu vou escrever sobre o assunto com base nos resultados que obtive ao pesquisar os fenômenos espirituais relacionados com a morte.
Ao abandonar seu corpo físico que não pode mais ser utilizado, o espírito retorna ao mundo espiritual, onde reinicia uma nova vida. Primeiramente, vou descrever o que ocorre no momento da morte sob o ponto de vista espiritual. Geralmente, o espírito abandona o corpo físico saindo por um dos três seguintes pontos: a testa, o umbigo ou a ponta dos pés. O espírito purificado – isto é , aquele que acumulou virtudes praticando o bem durante sua vida terrena – sai pela testa. O espírito muito maculado, que acumulou nuvens em consequência de seus pecados e ações malignas, sai pelas pontas dos pés. O espírito médio sai pelo umbigo.
Uma enfermeira que tinha dons de clarividência descreveu da seguinte maneira a sua experiência com um moribundo. Este exemplo é ocidental: "Um dia, ao observar um paciente que estava morrendo, vi uma substância branca, semelhante a uma névoa, sair como um fio de sua testa. Essa substância espalhou-se lentamente pelo espaço formando uma grande massa irregular parecida com uma nuvem e esta, aos poucos, foi assumindo uma forma humana. Alguns minutos mais tarde essa nuvem transformou-se numa perfeita reprodução da figura do paciente, quando vivo. Ele ficou pairando durante algum tempo no ar a observar o seu próprio cadáver. A seguir olhou para seus parentes que choravam agarrados ao morto, como se quisesse mostrar-lhes que estava ali. Mas depois – certamente ao se dar conta de que se encontrava numa dimensão diferente – pareceu desistir da tentativa, pois dirigiu-se para a janela, pela qual saiu flutuando". Esse relato descreve perfeitamente o que ocorre no momento da morte.
No budismo, a palavra "morte" significa "o que vai nascer". Porque o que morre no mundo material, na verdade esta nascendo no mundo espiritual. Depois de passar para o mundo espiritual, onde vive durante um período que pode variar de alguns anos a dezenas, centenas ou mesmo milhares de anos, o ser humano renasce no mundo físico. Durante o curso de sua vida terrena, ou à medida que vai executando as suas tarefas, o homem acumula – de modo consciente ou inconsciente – impurezas e máculas em seu corpo espiritual. Quando as doenças ou a velhice deterioraram o seu corpo físico, impedindo-o de cumprir as suas tarefas, ele abandona o corpo e volta para o mundo espiritual.
Quando a alma ingressa no mundo espiritual, começa, geralmente, a ser purificada de suas máculas. Dependendo da quantidade de suas nuvens, ela viverá num plano mais alto ou mais baixo do mundo espiritual. A quantidade de máculas também irá determinar se o período de purificação será longo ou curto. Esse período pode variar de alguns poucos anos a centenas e milhares de anos. E quando o espírito está purificado até um certo grau, renasce por ordem de Deus.
Essa é a ordem normal, mas há exceções. Quando uma pessoa morre sentindo um forte apego a vida, muitas vezes reencarna antes de ter sido suficientemente purificada no mundo espiritual. Tais pessoas têm um destino infeliz, pois como ainda carregam muitas máculas e pecados de sua encarnação anterior, sofrem grandes purificações.
Há no mundo pessoas boas que são muito infelizes. Elas acumularam muitos pecados em suas vidas anteriores, mas no último momento de sua encarnação precedente, arrependeram-se e tomaram a firme decisão de nunca mais praticar o mal. Esse sentimento ficou gravado na alma, mas elas renasceram prematuramente, quando ainda não estavam suficientemente purificadas. Por isso, embora odeiem o mal e só pratiquem o bem, vivem em circunstâncias muito infelizes. Não obstante, após um período de infelicidade durante o qual dissipam pecados e máculas, elas podem tornar-se repentinamente felizes. Há muitos exemplos assim.
Há vários tipos de temores e fobias que as pessoas carregam consigo de uma vida para a outra. Há homens, por exemplo, que se orgulham de sua conduta irrepreensível, vangloriando-se de não conhecerem outra mulher além de sua esposa. Outros permanecem solteiros até o final de seus dias. Essas pessoas, na vida anterior, tiveram experiências muito desastrosas com mulheres e morreram receando o sexo oposto. E esse pensamento ficou gravado em sua alma.
Há pessoas que detestam ou temem certas aves, insetos ou animais, porque sua morte foi causada por eles. Outros têm medo da água, do fogo ou de lugares altos, porque morreram afogados, queimados ou em consequência de uma queda. Há indivíduos que temem aglomerações e evitam ir a lugares onde há muita gente reunida, porque morreram pisoteados em meio a uma multidão. Há outros que tem medo de ficarem sozinhos. Certa vez tratei de uma pessoa que tinha pavor de ficar sozinha em casa. Quando todos os membros de sua família saíam, ela sempre ficava esperando do lado de fora até que alguém voltasse. Essa pessoa, numa vida anterior, foi acometida de um mal agudo quando se encontrava sozinha e morreu antes que alguém pudesse acudir aos seus chamados. Esses exemplos nos mostram que devemos preparar o nosso espírito para poder passar ao mundo espiritual com tranquilidade, sem apegos ou temores.
Algumas pessoas nascem deformadas ou aleijadas porque morreram em consequência de fraturas nos braços ou nas pernas ao caírem de um lugar alto e renasceram antes de estarem completamente curadas. O renascimento prematuro pode ser causado não só pelo apego da própria pessoa, mas também pelo apego dos pais ou parentes. Quando uma mulher engravida logo após a morte de um bebe muito amado, este muitas vezes renasce prematuramente devido ao apego da mãe. Essas crianças, geralmente, não são felizes.
O ser humano já nasce sábio ou tolo. A razão está na diferença da idade espiritual, pois há almas velhas e almas novas. As almas velhas reencarnaram muitas vezes e adquiriram muita experiência no mundo material. As almas novas, ao contrário, nasceram no mundo espiritual numa época mais recente. Por isso carecem de experiência e são menos inteligentes. As almas novas nascem de um ato de procriação no mundo espiritual.
Quem já não passou pela experiência de sentir por uma pessoa a quem nunca havia visto antes, uma simpatia ou afinidade muito mais forte do que pelos próprios pais, filhos ou irmãos? É que essa pessoa já foi nossa parente próxima numa vida anterior, ou então com ela mantivemos relação muito íntima. Isto, no budismo, é chamado "Innen" (afinidade).
Há pessoas que durante uma viagem sentem tão intensa simpatia por uma determinada localidade, que ali gostariam de permanecer. São lugares em que viveram ou residiram durante muito tempo, numa existência anterior.
Quando entre um homem e uma mulher eclode uma paixão violenta que avança cegamente, é porque ambos se amaram profundamente numa vida anterior, mas não tiveram oportunidade de se unirem. Por isso, nesta vida, a relação assume a forma de uma paixão explosiva.
Também quando um indivíduo lê livros históricos e sente forte simpatia ou repulsa por certos episódios ou personagens, é porque viveu naquela época e teve alguma relação com os eventos descritos.


Ensinamento de Meishu-Sama

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

O que é perdoar?


Vamos falar sobre o perdão.


O que é perdoar?
Como perdoar?
É preciso perdoar?

Esse tema é profundo e causa muita confusão. Todos já passaram por situações que precisaram perdoar e também serem perdoados.

Abaixo,vamos analisar o perdão visto por diversas religiões, cada uma mostra do seu modo o que é perdoar e ser perdoado.
Análise, veja qual das religiões está mais sintonizada com seu pensamento.    


O Perdão pelo Catolicismo.

Jesus usou esta linguagem figurativa quando ensinou aos discípulos como orar: "e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores". Uma pessoa se torna devedora quando transgride a lei de Deus. Cada pessoa que peca precisa suportar a culpa de sua própria transgressão e o justo castigo do pecado resultante. Ele ocupa a posição de pecador aos olhos de Deus e perde sua comunhão com Deus.
A boa nova do evangelho é que Jesus pagou o preço por nossos pecados com sua morte na cruz. Quando aceitamos o convite para a salvação através de nossa obediência aos mandamentos de Deus, ele aceita a morte de Jesus como o pagamento de nossos pecados e nos livra da culpa por nossas transgressões. Não ficamos mais na posição de infratores da lei ou devedores diante de Deus. Somos perdoados!
O perdão, então, é um ato no qual o ofendido livra o ofensor do pecado, liberta-o da culpa pelo pecado. Este é o sentido pelo qual Deus “esquece” quando perdoa. Ele liberta a pessoa perdoada da dívida do seu pecado, isto é, cessa de imputar a culpa desse pecado à pessoa perdoada. Portanto quem perdoa é Deus os nossos erros e os dos outros.


O Perdão pelo Espiritismo

Os espíritos superiores nos esclarecem que o inferno e o sofrimento eterno não existem, assim, se nem Deus nos julga, como podemos julgar, quanto mais condenar alguém?
A Lei Divina é o amor que abrange todas as coisas e todas as criaturas do universo. A oportunidade que Deus nos dá de reencarnar, para reparar erros cometidos anteriormente, revela o amor e a bondade de Deus que exemplifica o Perdão.
Ao perdoar, devemos fazê-lo com sinceridade, e se decidir falar ao ofensor sobre a falta que ele cometeu, diga com ternura e com o coração aberto, sem ofendê-lo e sem exigir que se humilhe perante ti. O perdão sincero é filho do amor, assim, não exige qualquer reconhecimento.


O Perdão pelo Budismo

O perdão é uma decisão de ter a pessoa em questão de maneira confortável dentro de nós novamente. Nós não perdoamos para esquecer. Nós perdoamos para recuperar a paz interna perdida.


O Perdão pelo Xintoísmo

No xintoísmo não existem mandamentos que dizem o que os homens devem ou não fazer. Nele, vale a autoconsciência, ou seja, o homem sabe, pela sua própria natureza, o que deve fazer.
A vida, os instintos e tudo o que serve para conservá-la e torná-la mais bela são avaliados de maneira positiva. A morte e tudo o que a ela conduz - como doença, falta de sorte e infelicidade - são avaliados negativamente e devem ser evitados.
Não existindo pecado, não deveria existir o sentimento de culpa ou de perdão, mas o xintoísmo recorre às purificações por um sentimento de justiça a quem é mais justo.


O Perdão pelo Evangélico

O perdão é uma escolha, um ato da obediência. Não é tanto uma questão de fé, mas de decidir obedecer a uma ordem do Senhor.
O amor é isso, não fomos nós que amamos a Deus, mas foi Ele que nos amou e mandou seu filho para que, por meio dEle, os nossos pecados fossem perdoados.
Do momento que Deus nos ama, também devemos amar uns aos outros. Perdoando uns aos outros como Cristo nos perdoa.



O Perdão pelo Judaísmo

A palavra perdão poeticamente pode ser tomada como aumentativo, da perda. Um perdão, nos apontando para uma grande perda. Que perda é essa? é a perda da ilusão de perfeição. Só se pede perdão, ou se é perdoado, através da admissão do erro, do engano, do equívoco, da
falha ou do mal feito. Desse modo, o perdão é a fragmentação narcísea, quando a imagem de perfeição se parte em cacos. Quebrando a idealização da imagem onipotente do ego se revela a essência verdadeira do ser. O perdão é o parto de si . É preciso o desapego ao ego para chegarmos verdadeiramente a si. No perdão as perdas dão cria.



O Perdão pelo Islamismo

Alguns dos pecados menores são expiados através do ritual da lavagem, no qual os muçulmanos são obrigados por Maomé a lavar certas partes do corpo antes de orar a Alá, para pedir perdão. Se não se lavarem antes, Alá não aceitará as suas orações de perdão.
Os teólogos muçulmanos também discordam quanto ao número de diferentes maneiras que um muçulmano pode receber o perdão para os pecados menores e os pecados maiores. As mais comuns são baseadas nos versos do Alcorão e do Hadith (ditos e ensinos de Maomé e dos Califas – seguidores de Maomé). Portanto quem perdoa é Alá os nossos erros e os dos outros.


O Perdão pela Seicho- No-Ie 

Se formos capazes de rezar por nós mesmos, já teremos dado um grande passo. Se fizermos isso diariamente, com o passar do tempo seremos capazes de perdoar. Perdoar não é esquecer. Não se pode esquecer uma ferida. Jesus se orgulha de suas chagas e não quer se esquecer delas, pois é sua prova de amor por nós. A pessoa que nos magoou, feriu, nem precisa saber que a perdoamos. Não precisamos nos relacionar com ela, como em casos em que a pessoa foi molestada sexualmente, ou de grandes traumas. Mesmo que a pessoa a quem devemos perdoar já tenha falecido, ainda assim podemos e devemos perdoar. Muitas curas acontecem em nossa saúde quando perdoamos de verdade. 



O Perdão pela Igreja Messiânica

Perdoar significa tocar a vida para frente, tornar-se responsável pelos seus sentimentos e deixar de ser vítima das situações dolorosas. Além disso, é um caminho para se reconectar com a intenção positiva. “Significa mudar sua história, tomar melhores decisões e ser conduzido a uma vida mais saudável e feliz.
Assim como os sentimentos positivos, os negativos também chegam até as pessoas pelos elos espirituais e, certamente, podem atrapalhar suas vidas: “Ficamos mal-humorados, perturbados e não podemos desempenhar corretamente nossas tarefas; nessas condições o sucesso é impossível”. Quanto maior a capacidade de perdoar, menos problemas nas artérias coronárias surgem no decorrer da vida, evitando doenças.


O Perdão pelo Hinduismo

As pessoas às vezes acham que perdoar é deixar que os outros passem por cima delas novamente ou acham que perdoar é voltar para trás.
No entanto perdoe sempre, pois este é o caminho da luz, é o que Brahman quer para você e Brahman sempre quer o melhor.
Uma pessoa cheia de ódios e coisas negativas não consegue ser feliz, a negatividade puxa a pessoa para baixo. Você só consegue ser feliz com coisas boas dentro de você.
O perdão não só elimina coisas ruins como acrescentam boas: o real amor divino e a limpeza emocional, espiritual e mental.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

O verdadeiro valor do anel


Era uma vez um rapaz que procurou um sábio em busca de ajuda.
— Venho até cá, mestre, porque me sinto tão tacanho que não tenho vontade de fazer nada. Dizem-me que não presto, que não faço nada bem, que sou lento e estúpido. Como posso melhorar? Que posso fazer para que as pessoas me valorizem mais?
O mestre, sem olhar para ele, disse:
— Lamento muito, rapaz, mas não posso ajudar-te. Primeiro, tenho de resolver o meu próprio problema. Talvez depois... — E, fazendo uma pausa, acrescentou: — Se tu me quiseres ajudar, eu poderia resolver este assunto mais depressa e talvez depois te possa ajudar.
— Com todo o prazer, mestre — gaguejou o rapaz, sentindo novamente que estava a ser desvalorizado e que as suas necessidades eram adiadas.
— Bom — continuou o mestre, tirando um anel que trazia no dedo mindinho da mão esquerda. Dando-o ao rapaz, acrescentou: — Pega no cavalo que está lá fora e vai ao mercado. Tenho de vender este anel porque preciso de pagar uma dívida. Tens de obter por ele a maior quantia possível e não aceites menos do que uma moeda de ouro. Vai e volta com a moeda o mais depressa que puderes.
O jovem pegou no anel e partiu. Assim que chegou ao mercado, começou a oferecer o anel aos comerciantes, que o fitavam com interesse até o jovem dizer quanto queria por ele.
Sempre que o rapaz mencionava a moeda de ouro, alguns riam-se, outros viravam-lhe a cara e só um velhinho foi suficientemente amável e se deu ao trabalho de lhe explicar que uma moeda de ouro era demasiado valiosa para ser trocada por um mero anel. Alguém, desejoso de ajudar, ofereceu-lhe uma moeda de prata e um recipiente de cobre, mas o jovem tinha ordens para não aceitar  menos do que uma moeda de ouro e, como tal, rejeitou a oferta.
Depois de oferecer a jóia a todas as pessoas que se cruzaram com ele no mercado, que foram mais de cem, e abatido pelo seu fracasso, o rapaz montou no cavalo e regressou para junto do sábio.
Ele ansiava por uma moeda de ouro para entregar ao mestre e libertá-lo da sua preocupação, de modo a poder receber finalmente o seu conselho e ajuda.
Entrou no quarto do sábio.
— Mestre — disse — lamento muito. Não é possível fazer o que me pedes. Talvez tivesse conseguido arranjar-te duas ou três moedas de prata, mas não creio conseguir enganar as pessoas quanto ao verdadeiro valor do anel.
— O que disseste é muito importante, meu jovem amigo respondeu o mestre, sorridente. — Primeiro, temos de conhecer o verdadeiro valor do anel. Torna a montar no teu cavalo e vai ao ourives. Quem melhor do que ele para nos dizer o valor? Diz-lhe que gostavas de vender a jóia e pergunta-lhe quanto te dá por ela. Mas não importa o que ele te ofereça: não lho vendas. Volta com o meu anel.
O jovem tornou a cavalgar.
O ourives inspeccionou o anel à luz da candeia, observou-o à lupa, pesou-o e respondeu ao rapaz:
— Diz ao mestre, rapaz, que, se o quiser vender agora mesmo, não lhe posso dar mais do que cinquenta e oito moedas de ouro pelo seu anel.
— Cinquenta e oito moedas?! — exclamou o jovem.
— Sim — replicou o ourives. — Eu sei que, com tempo, poderíamos obter por ele cerca de setenta moedas, mas se a venda é urgente...
O jovem correu, emocionado, para casa do mestre, ansioso por lhe contar a novidade.
— Senta-te — disse o mestre depois de o ouvir. — Tu és como esse anel: uma jóia valiosa e única. E, como tal, só podes ser avaliado por um verdadeiro perito. Porque é que vives à espera que qualquer pessoa descubra o teu verdadeiro valor?
E, dito isto, tornou a pôr o anel no dedo mindinho da sua mão esquerda.

por Jorge Bucay

sábado, 2 de julho de 2011

O que são problemas?



Problema é aquilo que consideramos difícil de resolver. Quando somos ignorantes em determinado assunto acreditamos que esse assunto é um obstáculo em nossa vida. Os inteligentes vão buscar informação para resolver o problema e pronto! Os mais folgados pedem para outro resolver e a vítima fica lamentando o problema e culpando os outros e o mundo.

Qual será a maneira mais prática de resolvê-los?



A metafísica busca respostas verdadeiras que, geralmente estão muito claras e ao seu alcance sempre. Se apareceu a carga é porque você tem condição de (aposto que você responderia carregá-la) ser inteligente em abri-la, ver o que interessa para você e pegar somente o que lhe serve de lição.

Você precisa ser eficaz e não dramatizar as situações. Você sabe a diferença entre eficiência e eficácia? Eficiente é o gerente do banco que vê uma fila imensa no caixa e abre outro para amenizar a fila e eficaz é o gerente que nem deixa formar a fila. Pois é, está na hora de você resolver o seu problema com eficácia e sem drama.

Todo problema é um desafio que, apareceu no momento certo para sua evolução. Se você fica adiando, tapando o sol com a peneira e fingindo não ser com você, o problema se agrava até que vira uma tragédia. Deus ou o universo não sabe mais como chamar a sua atenção para aquele aprendizado, mas você se recusa a aprender. E aí você fala: - Parece que veio tudo de uma vez...

Vou citar alguns exemplos de associações metafísicas para que você comece aprender a ser seu próprio terapeuta e vá em busca de informações para resolver seus desafios. Esses desafios são geralmente crônicos e repetitivos, por isso, quando você entende e conscientiza, eles desaparecem, sabe por quê? A lição já foi aprendida, não precisa mais passar por isso.

· Multa de trânsito: pessoa que se culpa, se julga e se pune o tempo inteiro.
· Micose de unha: crenças enraizadas, pensamentos contínuos.
· Crise financeira: desvalorização dos potenciais.
· Reumatismo: medo de ser flexível e os outros aproveitarem de você.
· Dor no pescoço: conflito entre a razão e a emoção.

Esses exemplos mostram somente que o resultado da sua vida externa é exatamente o que você acredita internamente. Sua vida externa é o reflexo do que você acredita. Portanto, é melhor crer para ver e crescer, do que esperar alguém provar que você pode, para daí você acreditar em você mesmo.

Comece hoje o trabalho de busca de entendimento e supere seus desafios com inteligência e muita sensibilidade. 

Fonte: Somos todos um, Simone Arrojo


sábado, 18 de junho de 2011

Harmonizando a beleza do Ocidente com a do Oriente.

Solo Sagrado de Guarapiranga.


Seguindo o exemplo da natureza, onde tudo se desenvolve a partir de uma pequena forma ou de um pequeno modelo, Mokiti Okada (1882-1955), também conhecido como Meishu-Sama, iniciou em 1945 no Japão a construção de protótipos do Paraíso Terrestre, os quais chamou de Solos Sagrados. Estes locais caracterizam-se pela harmonia entre a beleza natural e a criada pelo homem. O objetivo de Meishu-Sama (que em português significa "Senhor da Luz") era deixar para a humanidade a base para a construção de um Mundo Ideal, consubstanciado na Verdade, no Bem e no Belo. Ele os estabeleceu nas cidades de Hakone, Atami e Kyoto, objetivando que, a partir deles, outros modelos pudessem ser construídos ao redor do mundo, como uma pedrinha que se joga no centro de um lago e vai formando círculos de pequenas ondas até chegar às margens.
No Brasil, o protótipo do paraíso foi construído à margem da represa de Guarapiranga, em São Paulo, numa área de 327.500 metros quadrados e é conhecido como Solo Sagrado de Guarapiranga. Hoje, é considerado um dos maiores espaços para a contemplação da natureza e meditação existentes no Brasil.
Harmonizando a beleza do Ocidente com a do Oriente, a sua construção começou em 1991, após um elaborado projeto, em que cada detalhe foi estudado para proporcionar às pessoas um lugar onde elas pudessem meditar e entrar em sintonia com a natureza, elevando a sua espiritualidade. Para isso, milhares de voluntários de todos os lugares do Brasil e também de outros países se revezaram em mutirões e contribuíram, impregnando o local com seu amor, gratidão e sinceridade.
Marcel Vincenti/UOL
Já na entrada, sente-se uma maravilhosa energia: de um lado, a imensidão da represa de Guarapiranga; do outro, o verde em seus inúmeros tons.Depois, alamedas floridas e pedras de diferentes tipos colocadas em diferentes posições. Tudo feito para que as pessoas possam sentir que realmente o paraíso pode ser construído. Atualmente, o Solo Sagrado vem sendo utilizado por diversas instituições públicas, privadas e religiosas, que realizam eventos e cerimônias, aproveitando as modernas instalações e recursos, assim como a maravilhosa atmosfera do local, que torna as atividades bastante agradáveis.

FILOSOFIA 
Ao longo de três mil anos, a humanidade veio se afastando 
cada vez mais da Lei da Natureza, que é a Lei do Universo, 
a vontade de Deus, a Verdade.
Movido pelo materialismo, que o faz acreditar somente naquilo
que vê, e pelo 
egoísmo, que o leva a agir de acordo com sua 
própria conveniência, o homem tornou-se prisioneiro de uma 
ambição desmedida e inconsequente e vem destruindo o equilíbrio 
do planeta, criando para si e para seu semelhante 
desarmonia e infelicidade.
As graves conseqüências do desrespeito às Leis Naturais 
podem ser verificadas na agricultura, na medicina, na saúde, 
na educação, na arte, no meio ambiente, na política, na economia 
e em todos os demais campos da atividade humana. Essa situação 
já chegou ao seu limite. 
Se continuar agindo assim, é certo que o homem acabará destruindo 
o planeta e a si mesmo.
O propósito da Filosofia de Mokiti Okada é despertar a humanidade, 
alertando-a para essa triste realidade. Ela cultiva o espiritualismo 
e o altruísmo, faz o homem crer no invisível e ensina que existem 
espírito e sentimento não só no ser humano, mas também nos 
animais, nos vegetais e nos demais seres.
O Johrei, a Agricultura Natural e o Belo são práticas básicas 
dessa filosofia, capazes de transformar as pessoas materialistas 
em espiritualistas e as egoístas em altruístas, restituindo ao 
planeta seu equilíbrio original.
Seu objetivo final é reconduzir a humanidade a uma 
vida concorde com as Leis da Natureza e construir uma nova 
civilização, alicerçada na verdadeira saúde, na prosperidade e na paz


Nos finais de semana o Solo Sagrado oferece gratuitamente 
aos visitantes, agendados ou não, um passeio guiado, 
uma atividade de conhecimento, entretenimento e interação 
através da apreciação da natureza. Para isso, contamos com u
m grupo de voluntários que atuam como guias fornecendo 
informações sobre o local.

Os passeios acontecem de hora em hora, a partir das 10 horas, 
saindo do pórtico (localizado na recepção do Solo Sagrado,
na Praça da Paz, próximo à portaria). Os interessados devem 
se dirigir ao local e entrar em contato com o guia responsável 
pelo passeio guiado. Mais informações pelo telefone (11) 5970-1127.

Fonte: Igreja Messiânica Mundial do Brasil

quinta-feira, 16 de junho de 2011

UM GRANDE MAR, COM OS OLHOS NAS ESTRELAS.


AINDA QUE A TRISTEZA PERDURE POR LONGOS TEMPOS.
LUTAR NA CERTEZA DE UM TEMPO SEGURO
ONDE QUER QUE TÚ ESTEJAS.
AINDA QUE À VISTA;
TÚ PAREÇA ESTAR SOZINHO...
ESTE SERÁ O MEU ORGULHO, MINHA ÚNICA MISSÃO;
SEMPRE LUTAR, PELA SUA MEMÓRIA.
MEUS PENSAMENTOS SEMPRE ESTARÃO AO SEU LADO
E O TEMPO NÃO VAI APAGAR
DE SABER QUE TÚ, SOMENTE TÚ
FOI UM GRANDE MAR, COM OS OLHOS NAS ESTRELAS.

NA SUA PASSAGEM TERRESTRE
SEREI SEMPRE SEU PRINCIPAL INTERPRÉTE
POIS, PARA OS QUE FICAM
QUE RESPLANDEÇA EM SEUS ROSTOS
A ETERNA MAGIA DE VIVER.....

Este post escrito em 13/09/2007 foi enviado para o Fonte de Energia pelo amigo, Elson Primo.
Obrigado Elson. Continue nos enviando pensamentos elevados.