domingo, 4 de novembro de 2012

O poder da gratidão e o poder da ingratidão



Observamos em nós mesmos e em outras pessoas, uma tendência em enxergar e valorizar as coisas negativas e deixar de lado as coisas boas que acontecem. Conheço uma pessoa que passou o final de semana em um hotel maravilhoso, estava tudo ótimo mas... Tinha um garçom que não era simpático e houve um serviço que não foi prestado satisfatoriamente. O resultado é que essa pessoa falava mais desses pequenos detalhes que não foram bem, do que dos 95% que foram uma maravilha. Ou seja, 80% da conversa era sobre 5% dos fatores que foram negativos. Tive uma cliente que estava em busca de um emprego para ter a sua independência financeira com relação ao marido. Ela se sentia infeliz e reclamava do quanto era difícil arranjar um trabalho. Finalmente conseguiu ser contratada. Mas quando recebeu seu primeiro pagamento  começou a se queixar que o salário era baixo, que as colegas faziam fofoca, e etc... Não é estranho? O invés de se sentir feliz por que recebeu o primeiro salário (antes não ganhava nada), ficou triste por que era pouco. 

Eu lembro que eu tinha um padrão parecido com esse quando eu ainda tinha uma firma de engenharia. Naquela época, minha vida financeira era terrível. Eu ficava desesperado querendo receber o pagamento dos clientes, porém, quando eu recebia,  ficava mal pois já sentia que o pagamento não daria pra fazer nada. Como não dava para pagar tudo que eu devia, era um tormento escolher quais contas seriam pagas e quais seriam adiadas e negociadas.

O padrão se manifestou de forma semelhante quando deixei a firma e me tornei terapeuta. No começo, como seria de esperar, eu tinha poucos clientes. E sempre que eu recebia um pagamento de algum atendimento que eu fazia, ao invés de ficar feliz, eu acabava ficando triste por que sabia que aquele valor não daria para ter a vida que eu queria.

Quando nos sentimos insatisfeitos com o que recebemos ou com o que já temos, as conseqüências negativas são muito óbvias. Deixamos de crescer pois o desânimo tomará conta de nós, influenciando nossas ações, e a tendência é que nós fiquemos estagnados. Pior ainda, se a insatisfação for muito grande chegaremos até a perder o que temos. Eu lembro do quanto isso me deixava abatido nos tempos da engenharia e certamente me levou a criar mais problemas financeiros.

Já alguém que constantemente vê o lado o bom e se sente agradecido pelo que recebe, sente ânimo, o que vai influenciar suas ações de forma positiva levando esta pessoa a progredir.

Observe como funciona o mecanismo da gratidão. Uns dias atrás levei uns abacates do quintal da minha casa para uma amiga. Ela ficou bem feliz e agradecida com este pequeno presente. Em outro momento, falando comigo ao telefone, comentou que os abacates estavam deliciosos, que todos em casa gostaram e mais uma vez agradeceu. Como ia encontrá-la novamente, imediatamente lembrei de levar mais abacates pra ela. E dessa vez foi uma sacola maior. Dá uma satisfação em dar algo pra alguém que se sente grato. O fato dela ter expressado a gratidão fez com que ela recebesse mais.

Imagine se a reação dela tivesse sido assim "Eu não gosto muito de abacate. Esses abacates são pequenos. Abacate engorda". O que eu teria feito? Certamente, não levaria mais nenhum pra ela. E se ela apenas tivesse dito um "obrigado" meio sem graça? Provavelmente eu não lembraria de levar mais pra ela.

Quando estou sem poder agendar novos clientes, eu costumo indicá-los para terapeutas que já foram meus alunos e que eu sei que fazem um bom trabalho com a *EFT (técnica para auto-limpeza emocional, veja como receber um manual gratuito no final do artigo). Sabe quais são os terapeutas que eu mais me lembro para indicar? Aqueles que sempre agradecem e me mandam e-mails informando que atenderam o cliente indicado e contando o resultado que deu. Os que não agradecem, eu simplesmente acabo me esquecendo deles.  É algo que ocorre naturalmente.
O mesmo acontece na relação entre você e o universo. Quando você se sente grato pelo que tem e pelas coisas que recebe, a tendência é que você receba mais e que haja uma expansão. Mas quando você reclama para a vida da sua casa, do emprego, do salário ou seja lá o que for, a tendência é que você fique estagnado naquilo, ou que até perca o que tem. O universo fica satisfeito em dar mais quando você agradece, assim como você ficaria se recebesse o agradecimento sincero de alguém.

Quando somos bebês, a nossa única forma de pedir é mostrando a nossa insatisfação. O bebê chora, ou seja, reclama que algo está incomodando, e a mãe tem que dar um jeito de descobrir o que ele quer e satisfazer suas necessidades. Só que depois nós crescemos, mas acabamos por ficar presos inconscientemente a essa forma infantil de pedir através da reclamação.

Uma crença sabotadora é a de que se eu agradecer pelo que tenho, é como se estivesse me conformando com aquilo e dessa forma não vou ter nada melhor. Essa é uma visão infantil. É o bebê que chora até conseguir o que quer. O que essa crença pressupõe é que, se eu reclamar bastante do que eu tenho, vou ganhar algo melhor; o que não faz o menor sentido. 

Você pode se sentir grato pelo que tem, e ainda assim pode desejar, e sentir que merece algo melhor. Não há qualquer incompatibilidade. Sentir gratidão pelo que se tem neste momento vai abrir os caminhos pra que você tenha coisas melhores, cada vez mais.

No trabalho com a EFT, podemos limpar os sentimentos negativos que nos levam a reclamar das coisas que estão insatisfatórias na nossa vida. Isso traz aceitação e muitas vezes faz brotar o sentimento de gratidão. Esse é um passo importantíssimo para que a mudança de vida que a pessoa deseja venha a ocorrer. O primeiro passo é listar as coisas que estão deixando você insatisfeito bem como as razões dessa insatisfação. Depois, é só aplicar EFT pra dissolver todos os sentimentos ruins que brotaram, até eliminar completamente a sensação e se sentir em paz com aquilo.

por Andre Lima - andrelimareiki@gmail.com (somos todos um)

domingo, 19 de fevereiro de 2012

A grande tsunami no Rio de Janeiro.


“Todo pioneirismo testa as resistências morais daquele que se atreve a ser diferente para melhor quando a vulgaridade predomina, razão pela qual são especiais todos esses que se dedicam às experiências iluminativas e libertadoras. Nunca, porém, deverão recear, porque o Espírito do Senhor os animará, concedendo-lhes desconhecida alegria de viver, mesmo quando, aparentemente, haja uma conspiração contra os seus superiores propósitos”. 
Divaldo Franco - médium.

..................................................................................


Por: José Alencastro

Decidi escrever essa série de textos em virtude de muitas fantasias que estão surgindo ultimamente em vários relatos de desdobramento consciente: médiuns que dizem ter vencido os terríveis dragões do abismo, outros jurando de pé junto que ficaram frente a frente com esses seres, em outros casos médiuns alegando que derrotaram sozinhos, equipes inteiras de magos negros, realizando apenas comandos mentais mágicos, símbolos magísticos e outras lendas, alguns ainda se colocando como lideres de equipes de guardiões do astral. Tentarei nesses próximos textos trazer uma visão um pouco menos fantasiosa e mais ligada á realidade dos fatos, com base nas minhas próprias experiências e na vivência prática da Apometria.

Antes de mais nada é preciso ter uma noção sobre o que é o plano astral. O plano astral é o local pra onde todos nós vamos quando dormimos, morremos ou realizamos uma projeção astral, é um plano que pode ser dividido geograficamente, a grosso modo, em inferior, intermediário e superior.

O plano astral inferior é onde está localizado o umbral da Terra, os charcos umbralinos, o "inferno" descrito pela Igreja.Na contrapartida física do planeta esse nível do astral está abaixo da superfície em alguns milhares de kilometros.

O plano astral intermediário está localizado na superfície terrestre é pra onde a maioria dos encarnados vai enquanto dorme, perambulando pelas ruas, ajudando equipes socorristas do astral, realizando obsessões conscientes ou inconscientes ou simplesmente ficando em repouso ao lado do corpo físico enquanto esse permanece inerte na cama.

Por fim existe o plano astral superior, localizado na contrapartida física da Terra nas zonas mais altas da atmosfera, no chamado céu físico. Lá , assim como no umbral, são construídas colônias astrais com matéria astral moldadas segundo a ação mental dos construtores, espíritos que estudam para exercer essa função, e são relatadas no conhecimento espírita e espiritualista de diversas formas, como, por exemplo, em "Nosso Lar" de Chico Xavier ou "Grande Coração por Ramatis.


Basicamente esse é o plano astral, um plano que interpenetra o plano material (esse que vivemos com o corpo físico), plano astral onde o espírito não se manifesta com corpo físico (como no plano material), mas com corpo astral ou perispírito, ou como diz a Bíblia "corpo espiritual" (1 corintios 15:44), um corpo de natureza semi material, composto de matéria em um estado mais etérico do que a matéria do plano material, uma matéria mais diáfana, quintessenciada.

A grande fonte de energia do plano astral inferior, controlado por diversos magos da escuridão e suas milícias é o Sol Negro, egrégora que se encontra sob o controle dos supremos ditadores do abismo, nas zonas mais inferiores do astral inferior, conhecidos como dragões (ver mais detalhes no texto sobre o Sol Negro na trilogia Reino das Sombras do Robson Pinheiro), é essa energia que age sobre a matéria astral e o ectoplasma que essas milícias conseguem junto aos encarnados.

Entre o plano astral inferior e o plano astral intermediário existem diversos portais, espécie de “backdoor” ou “wormwhole” ligando as freqüências distintas desse mesmo plano como um dial percorrendo os canais de rádio. Alguns desses portais estão sob controle de guardiões, muitos sob o controle das milícias, ainda mais nesses tempos de exílio planetário e anos finais da era de expiação e provas, quando o número de futuros exilados encarnados é muito grande e o umbral se agita já pressentindo as drásticas mudanças que ocorrerão em toda a estrutura física e astral do planeta durante a separação dos lobos e cordeiros.

Relatarei alguns casos, estruturas e missões que realizei tanto no astral intermediário como no astral inferior, sobretudo envolvendo a cidade do Rio de Janeiro, expondo uma intrincada rede de interesses envolvendo encarnados e desencarnados, a grande maioria envolvida sem saber com aquilo que realmente estão mexendo, mas, sobretudo, tentando despertar algumas pessoas para um olhar mais crítico, acurado e reflexivo sobre algumas informações e “promessas” que vem sendo oferecidas sobre a espiritualidade e certos poderes ofertados, pois muitas vezes embaixo de um verniz que parece ser de bondade e luz pode se esconder algo muito traiçoeiro.

Muitas vezes nem tudo que parece ser, realmente é.

Exatamente por isso o texto a seguir possa, talvez, esclarecer algumas experiências, sonhos, sonhos lúcidos, lembranças que o leitor desse texto possa ter vivenciado e não entendeu muito bem o porque de um sonho ou uma sensação estranha após uma noite de sono.



O Rio da Janeiro.


A zona sul carioca conta com alguns dos bairros mais conhecidos e visitados pelos turistas: Copacabana e Ipanema. A arborizada Praça General Osório, próxima ao morro do Cantagalo é no astral intermediário uma floresta, com dimensões muito maiores do que a da praça localizada no plano físico. É cheia de árvores e muito verde, quanto mais se tenta adentrar mais vai ficando fechada a mata, um claro mecanismo de proteção criado por aqueles que comandam o local, algum grupo do astral inferior certamente. Esse local, essa mata, é o ponto central de ligação com diversos morros astrais, que estão intimamente ligados aos morros físicos da zona sul carioca. Atuam como portais, controlados por milícias astrais apresentando em alguns pontos reservatórios de energia, em boa parte criada, abastecida e sustentada pelo consumo desordenado de drogas na região.

De um desses morros astrais, localizado em Ipanema, no astral intermediário, mas com ligações a vários níveis do astral inferior, sai uma enorme ponte feita de material metálico que adentra por um gigantesco túnel, encravado em outro morro astral. Essa ponte está localizada no astral um pouco acima dos prédios do plano material do bairro carioca, é essa ponte que faz uma ligação entre os bairros de Ipanema e Copacabana, uma ligação guarnecida que serve como proteção a constante repressão dos guardiões (o exército destacado pelo Alto para proteger e conter os excessos naquela região astral). 

 


Já a ligação que os espíritos trevosos dos diversos grupos do astral utilizam entre Copacabana e o centro do RJ são através do subterrâneo, em determinados pontos do bairro no plano astral intermediário, existem pontos de entrada, assim como os pontos que existem no plano físico para ir a uma estação de metrô. Mas ao descer essas escadas, logo se percebe que existem diversos níveis e em cada “andar” é possível sair em um novo ponto do bairro ou até o centro da cidade e dependendo da descida ir a regiões cada vez mais inferiores do astral.

Em cada um desses níveis, é possível ver um ponto da cidade, muito parecido com a localidade da esfera física, com céu, atmosfera, mas obviamente não estão esses céus um embaixo do outro, são na verdade níveis energéticos, níveis de vibração que estão no mesmo local, um dentro do outro, podendo se subir ou descer a freqüência conforme se sobe ou desse as escadarias da entrada do portal, um simples mecanismo de transporte de um nível a outro.

Ironicamente as entidades do local chamam aquela escadaria exatamente de metrô, devido a semelhança do metrô utilizado pelos encarnados que normalmente é localizado abaixo da terra , nas profundezas, aquelas escadarias levam ao níveis cada vez mais inferiores do astral, servindo de elo de ligação entre o astral inferior e o astral intermediário.

Existe também uma ligação extensa entre a zona sul carioca e Niterói, por uma rede de pontes e estradas astrais sobre o mar (da pra ter uma idéia olhando o mapa acima), que passa por diversos becos e estruturas astrais construídas no astral intermediário, onde no plano físico existe apenas mar. 
Quanto mais próximo da orla no plano físico mais esses prédios astrais vão ganhando contornos de luxo e requinte, a semelhança dos prédios construídos no plano físico, inclusive esses locais já foram assolados por tsunamis no astral, um mecanismo que a própria espiritualidade usa para desfazer essas construções astrais de tempos em tempos, eu mesmo pude presenciar várias. Algumas dessas estruturas pitorescas são construídas com pedras, a semelhança do Egito antigo, inclusive com inscrições em hieróglifos dando ainda um ar mais peculiar a tudo aquilo. 

É por esse motivo que muitas pessoas que vivem na região da orla carioca ou já estiveram la alguma vez, tem sonhos tão reais ou lúcidos envolvendo catástrofes por tsunamis no local, não porque todas tenham realmente sido tragadas por um tsunami na Atlântida ou em outro trágico desencarne pelas águas , mas simplesmente porque presenciaram em desdobramento consciente a destruição dessas estruturas astrais montadas pelas milícias umbralinas na orla carioca, só que no  plano astral.

Essas fortes lembranças que muitos já tiveram em algum sonho muito real é um prenúncio do que ocorrerá com a orla carioca, no plano material, durante o auge dos eventos da transição planetária. 

Pude presenciar num desdobramento a visão desses acontecimentos. Eu estava em espírito e corpo astral no topo do Cesar Palace e a tsunami já havia passado, deixando a água que invadiu a orla até quase a altura do topo desse prédio, pude perceber pessoas dentro dessa torre, já desencarnadas sem saber que tinham morrido e não entendo como ainda poderiam estar vivas (e realmente estavam, só que já sem o corpo físico) e na estrutura astral ainda de pé, que era a contrapartida da estrutura física da torre que já havia caído.


As equipes socorristas apenas retirariam aquelas pessoas dali, já desencarnadas e muito assustadas sem entender o que estava acontecendo, para então permitir que a estrutura astral daquele prédio/torre também se desfizesse. Eu estava ali, desdobrado, vendo aqueles acontecimentos ocorrendo no astral, no futuro, inserido naquela realidade, naquela outra linha de tempo, podendo presenciar algo que ainda não aconteceu no plano físico, mas já é pressentido por muitos para acontecer algum dia.



Fonte: Profecias o ápice em 2036 

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Os güelos: Tirando vantagem do "fim do mundo."

Os güelos: Tirando vantagem do "fim do mundo.": Membros de comunidades indígenas participam de cerimônia maia . (foto EFE) Desde o dia 21 de dezembro do ano passado, para celebrar o ...

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

As flores e as cores no feng shui.


Você já parou para pensar porque tem bons sentimentos quando olha para uma bela rosa vermelha em um vaso? 
Agora, imagine se esse vaso não tivesse flores coloridas mas apenas folhagem verde? 
Como se sentiria?
De manhã cedo, quando vê uma flor que acaba de abrir no jardim o seu coração se enche de alegria e felicidade. Um lirio branco toca a alma pela sua serenidade. Uma rosa vermelha nos transmite amor e paixão.  
Uma rosa é vermelha porque reflete a cor vermelha. O feng shui usa essa energia refletida para criar uma balanço entre as energias Yin e Yang.
Se você tem em sua casa ou escritório objetos de decoração entonados, o feng shui aconselha a livrar-se de alguns deles e substitui-los por objetos com cores mais vibrantes. As cores transmitem energia. As cores com energia Yan podem levantar seu espirito para trabalhar melhor e com mais entusiasmo.
Qualquer vibração que tenha uma cor contribui de alguma forma com você. Essa é a razão pela qual as cores têm um papel muito importante na prática do feng shui. É essencial que se entenda que alterar as cores da sua casa vai ajudá-lo a atingir objetivos e metas que você estabeleceu para a sua vida.
Se você está planejando mudar as cores da sua casa, escritório, jardim ou até mesmo do seu vestuário, as caracteristicas das cores no feng shui vão ajudá-lo a atingir os objetivos.

Feng Shui Cores Yin

Azul: A cor azul, segundo o feng shui transmite calma. Esta cor tem muito significado no feng shui visto ser a cor que reflete o relaxamento e a cura. O Azul cria um sentimento de paz e confiança. Como se trata da cor do céu e do mar, o feng shui associa a ela a aventura e exploração. O Azul marinho é a cor do intelecto e da sabedoria.
Preto: A cor preta no feng shui simboliza o dinheiro. É uma cor perfeita para a carreira especialmente quando combinada com o metal. É a cor feng shui para a protecção emocional e para o poder.
Roxo: O roxo é a cor que fica no fim do espectro. Tem um grande significado no feng shui. É uma cor excelente para a cura tanto física como mental. É associada ao conhecimento espiritual.
Branco: No feng shui o branco simboliza a pose, confiança e pureza. Devido à sua energia Yin, é usada quase sempre em combinação com o dourado ou prateado para gerar uma atmosfera calma.
Feng Shui Cores Yan
As cores Yan são associadas aos elementos do fogo e madeira. No feng shui acredita-se que estas cores providenciam o entusiasmo e a energia positiva necessária para fazer algo ou para se sentir motivado. Abaixo fica a descrição que o feng shui faz para cada uma das cores.
Amarelo: A cor amarela no Feng Shui é considerada tão auspiciosa como o vermelho. O amarelo representa os raios de sol, o calor e a amizade. No entanto, segundo alguns especialistas Feng Shui, a exposição prolongada a grandes quantidades de amarelo pode causar ansiedade.
Laranja: Esta cor possui uma grande quantidade de energia Yang e tem um significado no Feng Shui bastante importante visto ser uma cor que fortalece a sua concentração. Você pode usar esta cor quando a sua criatividade estiver em baixa. O laranja é usado no Feng Shui para lhe dar um sentido, uma direção, um objetivo. O laranja é a cor da organização.
As outras cores feng shui de energia Yang são o Bege, Castanho, Vermelho e o Dourado. Cada cor tem o seu significado como dinheiro, sorte ou romance. Estas cores podem ser usadas em combinações diferentes com os elementos Feng Shui para equilibrar o Chi da sua casa, quarto, sala de estar, escritório, etc.
No feng shui, as cores também têm muito a ver com a localização da sua casa ou escritório. Existem cores definidas pelo feng shui para as fachadas das casas de forma a melhorar e equilibrar o Chi em toda a casa.
Por exemplo, se a sua casa está virada para o Sul, então deve pintar a casa de branco, cinzento ou azul de forma a melhorar o fluxo de energia Chi. Para casas viradas a Este os tons metal e terra são os que melhoram as energias positivas.
Fonte: www.dicasfengshui.com

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Olhe para o Universo e agradeça.


Existência de Deus

Conta-se que um velho árabe analfabeto
orava com tanto fervor e com tanto carinho,
cada noite, que, certa vez, o rico chefe de grande
caravana chamou-o à sua presença e lhe
perguntou: Porque oras com tanta fé?
Como sabes que Deus existe, quando nem ao
menos sabes ler? O crente fiel respondeu:
Grande senhor. Conheço a existência de
Nosso Pai Celeste pelos sinais dele.
Como assim? Indagou o chefe, admirado.
O servo humilde explicou-lhe: Quando o senhor
recebe uma carta de pessoa ausente, como
reconhece quem a escreveu? Pela letra.
Quando o senhor recebe uma joia, como é que se
informa quanto ao autor dela?
Pela marca do ourives. O empregado sorriu e
acrescentou: Quando ouve passos ao redor da tenda,
como sabe, depois, se foi um carneiro,
um cavalo ou um boi?
Pelos rastros- respondeu o chefe, surpreendido.
Então o velho crente convidou-o para fora da
barraca e, mostrando-lhe o céu, onde a Lua
brilhava, cercada por multidões de estrelas,
exclamou, respeitoso:
Senhor aqueles sinais, lá encima, não podem ser
dos homens! Nesse momento, o orgulhoso
caravaneiro, de olhos lacrimosos, ajoelhou-se
na areia e começou a orar também.

Chico Xavier

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

O poder do abraço.


Um forte abraço é o melhor dos remédios.
 
Cada vez mais nos sentimos isolados. Estamos vivendo um período de distanciamento de coisas simples, como um abraço.
Neste post vamos entender o “poder do abraço”. Alberto Petrocchi vai nos orientar de forma sensível e inteligente e mostrar como esse fantástico gesto de amor e carinho é poderoso.




por: Alberto Petrocchi

Estando em outro país e tendo acesso a informações sobre as principais características do seu povo, pude sabê-lo "individualista".
O conhecimento dessa particularidade deixou-me curioso a respeito dos motivos que estão levando as pessoas a isolarem-se umas das outras, além das consequências de tal atitude.
A ascendência do ter sobre o ser, a quase que obrigatoriedade de sobressair-se pela aparência, a importância de um grande saldo bancário, o automóvel último tipo e a roupa da moda fazem com que as pessoas vivam na sua redoma particular, presas apenas das suas vontades e das suas aspirações.
Pode parecer incrível, mas até nas danças modernas as pessoas se isolam. É extremamente difícil vermos pares dançando abraçados. Tornou-se, como diriam alguns, meio "démodé", quadrado. A intimidade gerada por um abraço, mais do que ser sensual ou sexual, transmite conforto, segurança, afeto, carinho, respeito. Preenche as necessidades de quem é abraçado e permite, a quem teve a iniciativa do gesto, demonstrar ser capaz de transmitir sua generosidade.
Desde que descarregado de outras intenções, o simples enlaçar com os braços é uma atitude poderosa. Transmite-se, através dele, inclusive o respeito para com a outra pessoa. Tomemos, como exemplo, a forma de apresentar sentimentos a quem passa pelo difícil momento da perda de um ser querido.
Quaisquer que sejam as palavras escolhidas para confortar essa pessoa poderão ser, no mínimo, inócuas, sem o verdadeiro sentido do que deveriam exprimir. Já o abraço forte demonstra o apoio, o conforto e a segurança oferecidos. Aquele que é abraçado pode confiar na força que lhe é transmitida, a confiança que lhe está sendo destinada.
Quando estamos nos sentindo sozinhos, meio que tristes ou com o horizonte fora de foco, um abraço é o melhor dos remédios. Faz-nos sentir queridos, alvos da atenção que necessitamos.
As palavras, nessas horas, talvez não signifiquem muito. O poderoso afeto que nos é destinado tem a força de erguer-nos do fosso e parece muito grande, maior do que a mais alta montanha. O ombro que nos recebe é sempre capaz de nos animar, de nos trazer de volta aos bons momentos da vida.
As crianças, por exemplo, na sua natural dificuldade para se expressarem através de palavras, demonstram todo o seu carinho com longos e apertados abraços. Chegam a ranger os dentes com a finalidade de nos mostrar a força do seu sentimento. É uma das mais reais provas de sentimento puro, de vontade de gritar sua demonstração de carinho.
Abraços de boas-vindas podem ser a prova de que a sua falta foi realmente sentida. Parecem querer dizer que o seu lugar, durante a sua ausência, foi ferrenhamente guardado. Quem permaneceu aguardando o seu regresso, qualquer que tenha sido o motivo da sua ida, precisava de você ao lado, tendo compreendido bem o motivo que o tenha privado da sua presença.
Está verdadeiramente feliz com a sua volta. Ah!, e os abraços de amor... Não existe quem a eles resista. Conseguem dizer o que as palavras jamais conseguiriam. Nem os olhos abertos se lhes resistem.
Vencidos, semicerram-se. A gana (a boa gana) se transforma em dedos crispados. Os rostos parecem querer invadir um ao outro.
Acontece uma verdadeira fusão de corpos e almas. É uma das mais expressivas formas de demonstração de amor.
Dois seres que se amam se completam nesses momentos. É o céu e a terra juntos. Existe, ali, a prova da divindade nos seres humanos, a sublime parte de ambos. Assim é que, diante do que consegui dizer, gosto de continuar com os meus princípios de integração/interação. Preciso de outro(s) ser(es) humano(s) ao meu lado. Para abraçar e/ou ser abraçado...



terça-feira, 29 de novembro de 2011

O espiritismo e a "Transição Planetária".


Neste momento de mudanças em todo mundo é sempre bom estarmos informados. O Blog Fonte de Energia mostra neste post a visão do espiritismo para a transição planetária. Temos certeza que a informação é a única forma de atravessarmos esta fase de mudanças. Estamos cumprindo nosso dever de orientar o ser humano e conduzi-lo para o caminho certo, onde o amor é a lei maior.


E, estando assentado no monte das Oliveiras, chegaram-se a ele os seus discípulos, em particular, dizendo: Dize-nos quando serão essas coisas e que sinal haverá da tua vinda e do fim do mundo?

Tanto o capítulo 24 do Evangelho segundo Mateus, quanto o capítulo 13 do Evangelho segundo Marcos, abordam o chamado fim do mundo. Se estudarmos esses capítulos com atenção, veremos que eles trazem várias previsões que Jesus faz a respeito da Grande Transição pela qual o planeta Terra esta passando, e estamos vendo acontecer em nossos dias.
Várias profecias têm sido divulgadas abordando o tema do final do planeta. A que está em voga atualmente é a profecia maia que traz uma suposta revelação para o fim do mundo em dezembro de 2012.
Contudo, será realmente o fim do mundo físico que estamos presenciando? Não! Os fatos que vivenciamos na atualidade é aquilo que a Doutrina Espírita nos explica desde a segunda metade do século XIX, nas chamadas obras básicas do Espiritismo, escritas por Allan Kardec, e que os Benfeitores espirituais, como a Mentora Joanna de Ângelis, atualmente, tem chamado a Grande Transição.
O que é essa Grande Transição? É a transformação do planeta Terra de mundo de expiações e provas, onde o mal impera, em mundo de regeneração onde há predominância do Bem. Portanto, o fim a que se refere o versículo acima citado não é o fim do planeta, mas o fim de uma era, a era na qual o mal predominava na Terra.

Como todo momento de transição há um tumulto previsto pelo próprio Cristo, relatado por Mateus  – “Porque haverá então grande aflição como nunca houve desde o princípio do mundo até agora nem tampouco haverá jamais”. É este momento de aflições coletivas que estamos passando, onde a iniquidade tem atingido o auge, gerando desesperança pela própria dor, e indiferença pela dor do próximo em muitas pessoas.
Todavia, é fundamental que estejamos atentos ao processo de transição, pois é um momento crucial em nossas vidas, e evitemos a desesperança e a indiferença. Jesus mesmo prediz isso – “E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará”.
Todos nós que estamos vivendo este momento somos convidados a buscar o Reino de Deus e a Sua Justiça, como nos ensina Jesus, de modo que cada um desenvolva o amor a si mesmo e ao próximo como a si mesmo, fazendo aos outros o que gostaria que fizesse a si.
Como a Terra deixará de ser planeta de expiações e provas, onde o mal predomina, aqueles que não estiverem dispostos a praticar o Amor e o Bem serão exilados em outro planeta, pois caso continuem a viver na Terra, devido à prática contumaz do mal e a capacidade tecnológica alcançada atualmente no planeta, essas pessoas, ainda voltadas ao mal, destruiriam o próprio planeta, fato também previsto por Jesus – “E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas, por causa dos escolhidos, serão abreviados aqueles dias”.
Portanto, este momento de transição é muito importante para todos aqueles que desejam permanecer nos próximos milênios na Terra regenerada, onde não é o planeta que terá fim, e sim o mal.
A Terra, planeta de regeneração, comparada com o que ela é hoje se transformará em um verdadeiro paraíso, no qual todo avanço científico e tecnológico será utilizado exclusivamente para o Bem, fazendo com que as doenças, a miséria material e ainiqüidade desapareçam do planeta, pois a miséria moral terá fim.
É fundamental, conforme orienta Jesus, que perseveremos na prática do Amor e do Bem para que possamos continuar a viver neste planeta.

Por: Alírio de Cerqueira Filho, coordenador de Estudos e Doutrina da Federação Espírita de Mato Grosso.