domingo, 19 de fevereiro de 2012

A grande tsunami no Rio de Janeiro.


“Todo pioneirismo testa as resistências morais daquele que se atreve a ser diferente para melhor quando a vulgaridade predomina, razão pela qual são especiais todos esses que se dedicam às experiências iluminativas e libertadoras. Nunca, porém, deverão recear, porque o Espírito do Senhor os animará, concedendo-lhes desconhecida alegria de viver, mesmo quando, aparentemente, haja uma conspiração contra os seus superiores propósitos”. 
Divaldo Franco - médium.

..................................................................................


Por: José Alencastro

Decidi escrever essa série de textos em virtude de muitas fantasias que estão surgindo ultimamente em vários relatos de desdobramento consciente: médiuns que dizem ter vencido os terríveis dragões do abismo, outros jurando de pé junto que ficaram frente a frente com esses seres, em outros casos médiuns alegando que derrotaram sozinhos, equipes inteiras de magos negros, realizando apenas comandos mentais mágicos, símbolos magísticos e outras lendas, alguns ainda se colocando como lideres de equipes de guardiões do astral. Tentarei nesses próximos textos trazer uma visão um pouco menos fantasiosa e mais ligada á realidade dos fatos, com base nas minhas próprias experiências e na vivência prática da Apometria.

Antes de mais nada é preciso ter uma noção sobre o que é o plano astral. O plano astral é o local pra onde todos nós vamos quando dormimos, morremos ou realizamos uma projeção astral, é um plano que pode ser dividido geograficamente, a grosso modo, em inferior, intermediário e superior.

O plano astral inferior é onde está localizado o umbral da Terra, os charcos umbralinos, o "inferno" descrito pela Igreja.Na contrapartida física do planeta esse nível do astral está abaixo da superfície em alguns milhares de kilometros.

O plano astral intermediário está localizado na superfície terrestre é pra onde a maioria dos encarnados vai enquanto dorme, perambulando pelas ruas, ajudando equipes socorristas do astral, realizando obsessões conscientes ou inconscientes ou simplesmente ficando em repouso ao lado do corpo físico enquanto esse permanece inerte na cama.

Por fim existe o plano astral superior, localizado na contrapartida física da Terra nas zonas mais altas da atmosfera, no chamado céu físico. Lá , assim como no umbral, são construídas colônias astrais com matéria astral moldadas segundo a ação mental dos construtores, espíritos que estudam para exercer essa função, e são relatadas no conhecimento espírita e espiritualista de diversas formas, como, por exemplo, em "Nosso Lar" de Chico Xavier ou "Grande Coração por Ramatis.


Basicamente esse é o plano astral, um plano que interpenetra o plano material (esse que vivemos com o corpo físico), plano astral onde o espírito não se manifesta com corpo físico (como no plano material), mas com corpo astral ou perispírito, ou como diz a Bíblia "corpo espiritual" (1 corintios 15:44), um corpo de natureza semi material, composto de matéria em um estado mais etérico do que a matéria do plano material, uma matéria mais diáfana, quintessenciada.

A grande fonte de energia do plano astral inferior, controlado por diversos magos da escuridão e suas milícias é o Sol Negro, egrégora que se encontra sob o controle dos supremos ditadores do abismo, nas zonas mais inferiores do astral inferior, conhecidos como dragões (ver mais detalhes no texto sobre o Sol Negro na trilogia Reino das Sombras do Robson Pinheiro), é essa energia que age sobre a matéria astral e o ectoplasma que essas milícias conseguem junto aos encarnados.

Entre o plano astral inferior e o plano astral intermediário existem diversos portais, espécie de “backdoor” ou “wormwhole” ligando as freqüências distintas desse mesmo plano como um dial percorrendo os canais de rádio. Alguns desses portais estão sob controle de guardiões, muitos sob o controle das milícias, ainda mais nesses tempos de exílio planetário e anos finais da era de expiação e provas, quando o número de futuros exilados encarnados é muito grande e o umbral se agita já pressentindo as drásticas mudanças que ocorrerão em toda a estrutura física e astral do planeta durante a separação dos lobos e cordeiros.

Relatarei alguns casos, estruturas e missões que realizei tanto no astral intermediário como no astral inferior, sobretudo envolvendo a cidade do Rio de Janeiro, expondo uma intrincada rede de interesses envolvendo encarnados e desencarnados, a grande maioria envolvida sem saber com aquilo que realmente estão mexendo, mas, sobretudo, tentando despertar algumas pessoas para um olhar mais crítico, acurado e reflexivo sobre algumas informações e “promessas” que vem sendo oferecidas sobre a espiritualidade e certos poderes ofertados, pois muitas vezes embaixo de um verniz que parece ser de bondade e luz pode se esconder algo muito traiçoeiro.

Muitas vezes nem tudo que parece ser, realmente é.

Exatamente por isso o texto a seguir possa, talvez, esclarecer algumas experiências, sonhos, sonhos lúcidos, lembranças que o leitor desse texto possa ter vivenciado e não entendeu muito bem o porque de um sonho ou uma sensação estranha após uma noite de sono.



O Rio da Janeiro.


A zona sul carioca conta com alguns dos bairros mais conhecidos e visitados pelos turistas: Copacabana e Ipanema. A arborizada Praça General Osório, próxima ao morro do Cantagalo é no astral intermediário uma floresta, com dimensões muito maiores do que a da praça localizada no plano físico. É cheia de árvores e muito verde, quanto mais se tenta adentrar mais vai ficando fechada a mata, um claro mecanismo de proteção criado por aqueles que comandam o local, algum grupo do astral inferior certamente. Esse local, essa mata, é o ponto central de ligação com diversos morros astrais, que estão intimamente ligados aos morros físicos da zona sul carioca. Atuam como portais, controlados por milícias astrais apresentando em alguns pontos reservatórios de energia, em boa parte criada, abastecida e sustentada pelo consumo desordenado de drogas na região.

De um desses morros astrais, localizado em Ipanema, no astral intermediário, mas com ligações a vários níveis do astral inferior, sai uma enorme ponte feita de material metálico que adentra por um gigantesco túnel, encravado em outro morro astral. Essa ponte está localizada no astral um pouco acima dos prédios do plano material do bairro carioca, é essa ponte que faz uma ligação entre os bairros de Ipanema e Copacabana, uma ligação guarnecida que serve como proteção a constante repressão dos guardiões (o exército destacado pelo Alto para proteger e conter os excessos naquela região astral). 

 


Já a ligação que os espíritos trevosos dos diversos grupos do astral utilizam entre Copacabana e o centro do RJ são através do subterrâneo, em determinados pontos do bairro no plano astral intermediário, existem pontos de entrada, assim como os pontos que existem no plano físico para ir a uma estação de metrô. Mas ao descer essas escadas, logo se percebe que existem diversos níveis e em cada “andar” é possível sair em um novo ponto do bairro ou até o centro da cidade e dependendo da descida ir a regiões cada vez mais inferiores do astral.

Em cada um desses níveis, é possível ver um ponto da cidade, muito parecido com a localidade da esfera física, com céu, atmosfera, mas obviamente não estão esses céus um embaixo do outro, são na verdade níveis energéticos, níveis de vibração que estão no mesmo local, um dentro do outro, podendo se subir ou descer a freqüência conforme se sobe ou desse as escadarias da entrada do portal, um simples mecanismo de transporte de um nível a outro.

Ironicamente as entidades do local chamam aquela escadaria exatamente de metrô, devido a semelhança do metrô utilizado pelos encarnados que normalmente é localizado abaixo da terra , nas profundezas, aquelas escadarias levam ao níveis cada vez mais inferiores do astral, servindo de elo de ligação entre o astral inferior e o astral intermediário.

Existe também uma ligação extensa entre a zona sul carioca e Niterói, por uma rede de pontes e estradas astrais sobre o mar (da pra ter uma idéia olhando o mapa acima), que passa por diversos becos e estruturas astrais construídas no astral intermediário, onde no plano físico existe apenas mar. 
Quanto mais próximo da orla no plano físico mais esses prédios astrais vão ganhando contornos de luxo e requinte, a semelhança dos prédios construídos no plano físico, inclusive esses locais já foram assolados por tsunamis no astral, um mecanismo que a própria espiritualidade usa para desfazer essas construções astrais de tempos em tempos, eu mesmo pude presenciar várias. Algumas dessas estruturas pitorescas são construídas com pedras, a semelhança do Egito antigo, inclusive com inscrições em hieróglifos dando ainda um ar mais peculiar a tudo aquilo. 

É por esse motivo que muitas pessoas que vivem na região da orla carioca ou já estiveram la alguma vez, tem sonhos tão reais ou lúcidos envolvendo catástrofes por tsunamis no local, não porque todas tenham realmente sido tragadas por um tsunami na Atlântida ou em outro trágico desencarne pelas águas , mas simplesmente porque presenciaram em desdobramento consciente a destruição dessas estruturas astrais montadas pelas milícias umbralinas na orla carioca, só que no  plano astral.

Essas fortes lembranças que muitos já tiveram em algum sonho muito real é um prenúncio do que ocorrerá com a orla carioca, no plano material, durante o auge dos eventos da transição planetária. 

Pude presenciar num desdobramento a visão desses acontecimentos. Eu estava em espírito e corpo astral no topo do Cesar Palace e a tsunami já havia passado, deixando a água que invadiu a orla até quase a altura do topo desse prédio, pude perceber pessoas dentro dessa torre, já desencarnadas sem saber que tinham morrido e não entendo como ainda poderiam estar vivas (e realmente estavam, só que já sem o corpo físico) e na estrutura astral ainda de pé, que era a contrapartida da estrutura física da torre que já havia caído.


As equipes socorristas apenas retirariam aquelas pessoas dali, já desencarnadas e muito assustadas sem entender o que estava acontecendo, para então permitir que a estrutura astral daquele prédio/torre também se desfizesse. Eu estava ali, desdobrado, vendo aqueles acontecimentos ocorrendo no astral, no futuro, inserido naquela realidade, naquela outra linha de tempo, podendo presenciar algo que ainda não aconteceu no plano físico, mas já é pressentido por muitos para acontecer algum dia.



Fonte: Profecias o ápice em 2036 

2 comentários:

  1. Sei que isso é verdade e que vai acontecer, embora eu esteja despertando apenas a pouco , sei de muita coisa , como por intuição , gostaria de compartilhar minhas experiências com alguém .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, estou pronto a dar atenção ao que você pode relatar. Tenho sempre interesse por tudo que se relaciona com o Rio de Janeiro.

      Excluir